DATILOGRAFANDO EM VÁRIAS VIAS

Os chamados “bloquinhos” eram conjuntos de folhas intercalados com papel carbono, utilizados nas máquinas de datilografar: ”Era assim: primeiro vinha a folha sulfite, carbono, papel de seda rosa, carbono, papel de seda azul…”, relembra Flávio Lopes da Silva, servidor do Tribunal desde 1984, lotado atualmente na Seção de Registros Funcionais de Magistrados. Segundo ele, as cores identificavam a finalidade de cada via.

máquina datilográfica, Optima, bloquinho
Detalhe de vitrine da exposição “Memória do TRT-2: uma construção coletiva”: à esquerda, máquina datilográfica Optima, reprodução de um bloquinho e, à direita, foto da desembargadora aposentada Maria Cristina Fisch usando a máquina exposta, no fim da década de 70.
máquina datilográfica, Maria Cristina Fisch, TRT-2, década de 70
A desembargadora aposentada Maria Cristina Fisch, à época servidora da 12ª JCJ, em 1978, utilizando máquina datilográfica do TRT-2.

Mas já pensou o trabalho que era montar esses conjuntinhos? A servidora aposentada Andrea Torrres Sanchez sabe bem o que era isso: ”A gente fazia uns bloquinhos. Quando sobrava um tempinho, todo mundo da junta ia ajudar a secretária de audiência e o assistente”.

Na imagem acima, a desembargadora aposentada Maria Cristina Fisch, em foto do final da década de 70, ainda atuando como servidora, em frente a uma máquina da marca Optima, modelo Daro M16, exposta na foto abaixo.

máquina datilográfica, Optima
Máquina datilográfica Optima.

Memórias Trabalhistas é uma página criada pelo Centro de Memória do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, setor responsável pela pesquisa e divulgação da história do TRT-2. Neste espaço, é possível encontrar artigos, histórias e curiosidades sobre o TRT-2, maior tribunal trabalhista do país.

Acesse também o Centro de Memória Virtual e conheça nosso acervo histórico, disponível para consulta e pesquisa.


Leia também



Publicado por Belmiro Fleming

Cientista social, faz parte do TRT-2 desde 2016, tendo integrado anteriormente o TRT-15 por quase três anos. De ascendência nipo-irlandesa, sempre se interessou por história, seja de seus antepassados, seja dos lugares em que viveu. Acredita que a modernidade de São Paulo traz uma carga histórica, algumas vezes esquecida.

7 comentários em “DATILOGRAFANDO EM VÁRIAS VIAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: