O CENTRO DE MEMÓRIA DO TRT-2

O setor, a equipe, os projetos e a legislação relacionada à gestão da memória no TRT-2.


Centro de Memória do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região surgiu em 2017, com o objetivo de pesquisar e divulgar a memória institucional, vinculado à Secretaria-Geral da Presidência, a partir da edição do Ato GP nº 37 do mesmo ano, e alterado pelo Ato GP nº 40/2018, que modificou o nome do setor (antes chamado Seção de Arquivo Histórico, Memória e Instrumentos Arquivísticos) e definiu suas competências.

Com servidores de perfis e formações variadas, imbuídos da missão de preservação e difusão da memória da instituição, o setor concentra esforços na localização e seleção de documentos e objetos de interesse histórico que se encontrem nas diversas unidades administrativas e judiciárias do Tribunal e na consequente descrição e disponibilização de informações aos públicos interno e externo. A equipe busca, pelo contato com servidores e magistrados, ativos e inativos, além de advogados e jurisdicionados, remontar a história do Tribunal a partir das lembranças pessoais de cada um deles.

O Centro de Memória do TRT-2 trabalha em parceria com outras áreas afins do Tribunal, como a Coordenadoria de Gestão Documental e a Secretaria de Comunicação Social, pensando no objetivo comum de valorização da memória institucional, em seus documentos, ritos e pessoas.

Com esse trabalho de pesquisa, é possível a realização de estudos, análises, campanhas institucionais, exposições e eventos culturais, além de uma produção textual e audiovisual que passa a ser disponibilizada ao público. Conteúdos que podem, inclusive, servir de fonte a pesquisadores acadêmicos das mais diversas áreas do saber.

Além dos artigos, publicados aqui no “Memórias Trabalhistas”, ainda é possível conferir o conteúdo do acervo do Tribunal no Centro de Memória Virtual do TRT-2, no qual são disponibilizadas as descrições de processos, fotografias, documentos administrativos, conteúdos audiovisuais, objetos, dentre outros.

Dessa forma, o TRT-2 caminha em consonância com os demais órgãos trabalhistas, que buscam a criação de setores especializados na preservação da memória da Justiça do Trabalho, e agora reforçado pela publicação do Ato Conjunto TST.CSJT.GP.SG.CGDOC n°37/2021, que instituiu a Política de Gestão Documental e de Gestão de Memória da Justiça do Trabalho, em observância às diretrizes e normas do Programa Nacional de Gestão Documental e Memória do Poder Judiciário – Proname. E com o próprio Conselho Nacional de Justiça, que, em 2020, não só instituiu uma data comemorativa à memória institucional, o Dia da Memória do Poder Judiciário (a ser celebrado em 10 de maio), como também publicou a Resolução nº 324/2020, que trata da gestão documental e da gestão de memória.

Art. 38. Constituem princípios e diretrizes da política de Gestão da Memória do Poder Judiciário, além dos elencados no artigo 3º da presente Resolução:

I – favorecimento do uso de novas tecnologias digitais para ampliar a dimensão informativa dos acervos;

II – compartilhamento de técnicas das ciências da informação, arquivologia, biblioteconomia, museologia, história, antropologia e sociologia para agregar valor informativo sobre a instituição e seu papel na sociedade;

III – colaboração e interação entre as unidades de Memória e de Arquivo;

IV – promoção de iniciativas de preservação do patrimônio arquivístico, mobiliário e imobiliário de caráter histórico e cultural do Poder Judiciário e respectiva divulgação;

V – promoção de encontros e seminários para intercâmbio de experiências; e

VI – registro e divulgação de boas práticas no sítio eletrônico do CNJ.

Resolução CNJ nº 324/2020

Contar a história do TRT-2 é contar a história das pessoas que passaram por aqui.


Confira o que já escrevemos sobre gestão da memória, gestão documental e sobre o Centro de Memória do TRT-2


DESBRAVADORES DA INFORMAÇÃO

Dia 20 de outubro é comemorado o dia do Arquivista, profissionais fundamentais em nossa sociedade e na preservação da memória.

MEMÓRIA EM COLETIVIDADE

Apresentamos o trabalho desenvolvido pelo Centro de Memória do TRT-2 ao longo de seu tempo de existência.

QUANDO OS FINS JUSTIFICAM OS MEIOS

Normalmente, em órgãos que possuem sua atividade-fim tão bem definida, como aqueles ligados ao Judiciário, é comum que todo e qualquer setor que não esteja ligado diretamente ao exercício dessa atividade, seja alocado em função dela, ou seja, considerado “atividade-meio”. Tais setores são fundamentais para o funcionamento da instituição e para sua plena prestação jurisdicional.

PELA MEMÓRIA DO PODER JUDICIÁRIO

A partir de 2020, os órgãos do Poder Judiciário nacional têm uma data especial – e única – para celebrarem suas memórias. Trata-se do dia 10 de maio, data instituída, por meio da Resolução nº 316 de 22 de abril de 2020, do Conselho Nacional de Justiça, como o Dia da Memória do Poder Judiciário.

ENTRE PASSARINHOS, OPALAS E COMPUTADORES

Ao elaborarem as narrativas sobre as suas trajetórias, as pessoas relembram de seus contemporâneos e de gerações anteriores à sua, dando pistas e informações valiosas sobre outros atores da história da Justiça do Trabalho.

CENTRO DE QUÊ?

Um tribunal com quase 80 anos, milhares de documentos guardados, dentre processos e documentos administrativos, e muitas histórias a serem contadas – do órgão, de pessoas, de processos, de prédios e de relações.

A CONSTRUÇÃO DE UM ACERVO

Nesses últimos meses, recebemos diversas doações. E ficamos muito felizes com isso. Ainda mais por sabermos que essas doações vêm de servidores e de magistrados que confiam em nosso trabalho e que acreditam que seus tão queridos materiais (fotos, documentos, objetos) serão bem cuidados pelo Centro de Memória.

A MEMÓRIA DA JT EM SÃO PAULO

Entre os dias 23 e 24 de maio, o Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região recebe mais uma edição do Fórum Nacional Permanente em Defesa da Memória da Justiça do Trabalho – Memojutra.


Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: